website templates
Mobirise

Dra. Márly Ludmer

Médica Ginecologista | CRM/PE 7937

Como ginecologista, tenho a oportunidade de cuidar da mulher observando os aspectos específicos da especialidade e através de uma visão mais ampla, promover a saúde e seu bem estar como um todo. Para que todas sintam a plenitude de ser mulher. 

Especialidades

  • Consultas de rotina e exames ginecológicos
    Toda mulher necessita de exames periódicos de prevenção para evitar o câncer de útero, mama, ovários, vagina e vulva. Através dos exames de mamografia, ultrassonografia endovaginal e mamária, colposcopia e citologia oncótica, podemos prevenir o câncer ginecológico. Assim, podemos evitar danos maiores à saúde se diagnosticados precocemente. Na clínica também solicitamos USG (Ultrassonografia do Abdomem Total e Tireoide) como uma prevenção mais ampla da saúde feminina.
  • Diagnóstico e tratamento dos sintomas de menopausa e climatério, orientando tratamento individualizado
    As mulheres nas fases do climatério e menopausa precisam de atenção especial com a rotina dos exames preventivos e, principalmente, orientação de como enfrentar esta fase da melhor forma possível com medicações adequadas.
  • Tratamento para osteoporose 
    As mulheres na menopausa têm perda significativa de massa óssea, com possibilidade de futuras fraturas do rádio, coluna vertebral e fêmur proximal. É necessário diagnóstico, prescrição de medicamentos e acompanhamento adequado. O exame de Densitometria Óssea é fundamental.
  • Orientação sobre contracepção/colocação de DIU nas diversas fases de vida da mulher 
    Indicar quais as melhores opções de contracepção é uma tarefa que tem de ser individualizada. Para cada faixa etária e cada caso há suas especificidades.

Dra. Márly Ludmer

- Graduada em Medicina pela UFPE
- Residência médica em Ginecologia e Obstetrícia pelo Hospital das Clínicas da UFPE
- Coordenadora do Ambulatório de Climatério e Menopausa do AMEM (Ambulatório Médico Especializado da Mulher) da Prefeitura Municipal do Recife
- Especializada em climatério e menopausa com dedicação a esta área há mais de 20 anos

Perguntas Frequentes das Pacientes

A fase do climatério começa a partir do declínio da produção hormonal (estrogênios e progestogênios) pelos ovários. Geralmente se inicia por volta dos 35 até os 65 anos. 

A menopausa é o termo que se usa para a última menstruação da mulher decorridos 12 meses. Ou seja , é um diagnóstico retrospectivo. Entretanto os sintomas aparecem muitas vezes antes, trazendo diminuição da qualidade de vida destas mulheres. É necessário ir ao ginecologista pelo menos 1 vez ao ano para fazer seus exames de rotina, e conversar com seu médico para orientações nesta fase. 

Procurar seu médico para fazer exames e investigar a causa do sangramento irregular. Pode não ter um significado importante, porém a origem deve ser diagnóstica para não deixar dúvidas quanto a importância do sintoma.

NÃO. A mulher geralmente engorda na menopausa pela sua tendência genética, pela diminuição do metabolismo a partir desta fase,hábitos alimentares não saudáveis, falta de atividade física, entre outros fatores.

Com o envelhecimento a mulher perde colágeno (proteína que dá sustentação à pele), em torno de 30%, o que acarreta diminuição da circulação da pele e como consequência maior flacidez, aparecimento de rugas e estrias. Recomenda-se bastante hidratação, filtro solar, parar de fumar, tomar vitamina D na dose adequada, ir ao dermatologista para maiores esclarecimentos.

A grande maioria das mulheres têm diminuição da libido nesta fase,pois ocorre uma acentuada diminuição dos hormônios estrogênio, progestogênio ,e principalmente a testosterona. Este último responsável diretamente pela libido. No entanto existem outras causas responsáveis por esta diminuição que devem ser lembradas, como depressão, diminuição da auto estima, dor na relação, parceiros(as) que não compreendem esta fase da mulher, outras doenças, entre outros fatores.

SIM. Se a mulher não está bem orientada,ou seja medicada com relação a este sintoma. O ressecamento ocorre pela grande diminuição do hormônio estrogênio, causando o afinamento da mucosa vaginal, com a diminuição do colágeno, da circulação local, da elasticidade, causando muitas vezes dor e até sangramento na relação. 

Fazer exercícios com regularidade, manter uma dieta com calorias adequada à sua idade e estrutura física.

Qualquer medicação hormonal ou fitoterápica, deverá ser orientada por seu ginecologista. Cada mulher tem suas características próprias, história natural de doenças, fatores hereditários, doenças coadjuvantes como diabetes, hipertensão arterial, problemas com tireóide, cardiopatias, os exames de rotina preventivos também devem estar atualizados.

NÃO. Existem situações em que há contra indicações absolutas,por exemplo; histórico de câncer de mama, história de fenômenos tromboembólicos (trombose , AVC), sangramento uterino anormal que obrigatoriamente deve ser investigado previamente à reposição hormonal.

SIM. Existem vários tratamentos,mas devemos tratar preventivamente, antes que a osteoporose apareça. Sabemos que nos primeiros anos de menopausa, a mulher tem uma perda anual de 2 a 5% de sua massa óssea. Nesses primeiros 2 a 5 anos será o período ideal para darmos início a tratamentos preventivos, que vão desde reposição adequada de vitamina D e cálcio, a medicações mais específicas ao metabolismo ósseo, sem esquecer da atividade física e dieta que têm um papel fundamental, para obtermos êxito no tratamento.

O DIU (dispositivo intrauterino) MIRENA é o método mais eficiente que temos hoje para contracepção, superando o anticoncepcional oral e também o diu de cobre. Contém um tipo de hormônio progestágeno, que é liberado em mínimas doses intra uterino, causando a redução da espessura do endométrio (tecido interno do útero), e consequentemente na grande maioria das mulheres causa amenorréia (ausência de menstruação). A amenorreia traz grandes vantagens a mulher pois inibindo a menstruação, inibe a TPM,e as cólicas menstruais. Algumas pacientes que têm maior sensibilidade a este hormônio do mirena podem SIM apresentar acne, principalmente nas primeiras semanas.

SIM. Geralmente causa o aumento do fluxo sanguíneo como também pode aumentar as cólicas. Para aquelas pacientes que já possuem menstruações excessivas, não seria uma boa opção.

SIM. A vacina aumentará sua imunidade. Os autores de trabalhos científicos recomendam que seja feita pois protege contra alguns subtipos de HPV (6, 11,16, 18), o que só melhora suas defesas.

A idade usual será quando houver a menarca (primeira menstruação), que usualmente no Brasil, acontece por volta dos 11 aos 13 anos (pode variar dependendo de outros fatores como genética, alimentação, clima). Mas, se notar algo diferente no desenvolvimento físico antes da menarca ou outra queixa relacionada à genitália ou mamas, deverá levar em qualquer idade.

São tumorações benignas do útero. E dependendo da localização podem causar sangramentos abundantes, cólicas intensas, e aumento do volume abdominal. Entretanto, às vezes as pacientes não têm sintomas e diagnosticamos através de exames de rotina (usg endovaginal ou mesmo no toque bimanual no consultório).

Contatos

WhatsApp: (81) 99133-5029
Fixo: (81) 3222-0767
E-mail: dramarlyludmer@gmail.com 

Rua das Fronteiras, 175 - Sala 310 do Edf Garagem do Hospital Memorial São José - Recife, PE

Dra. Márly Ludmer

Localização

Rua das Fronteiras, 175 - Sala 310 do Edf Garagem do Hospital Memorial São José - Recife, PE

Redes Sociais